Notícias

Inscrições abertas para a SEI – Semana de Empreendedorismo e Inovação – UNIFACS.

 

A SEI- Semana de Empreendedorismo e Inovação será realizada no período de 31 de Março a 4 de Abril de 2014. Ao longo da semana  a comunidade UNIFACS poderá participar de palestras, sessões paralelas, debates, oficinas e concursos, visando capacitá-los a desenvolverem suas competências empreendedoras.

 

Os interessados em participar das atividades da SEI deverão se inscrever por meio do seguinte URL: http://bit.ly/1seiunifacs. Para aqueles que desejarem um certificado de participação do evento, para fins de Atividades Complementares (AC), a inscrição no URL anterior será obrigatória

 

O evento pretende integrar as quatro escolas da instituição no que se refere às temáticas de empreendedorismo e inovação e, tem por objetivo macro a abordagem destes temas de forma transversal.

 

Confira a programação:

 

 

 

 

Pastar entre as 5 startups mais inovadoras do Campus Party 2014.

Após conquistar o Startup Weenkend 2013 e tornar-se finalista da fase internacional do Prêmio James MCGuire 2014, a empresa  incubada Pastar Serviços Agropecuários acaba de confirmar sua competência ao ser indicado pela Revista Info Abril, como uma das cinco startups mais inovadoras da Campus Party 2014.

 

 

 

 

 

Parabenizamos a Pastar pelo que vem desenvolvendo ao longo deste período e esperamos que continue com o mesmo empenho e dedicação, tornando-se referência em nosso Estado no segmento de Startup.

 

 

 

 

 

PluriCell vence Desafio Brasil, RFIdeas fica em segundo lugar, STA em terceiro

Fonte:http://startups.ig.com.br/

 

Em nova edição, o Desafio Brasil 2013 contou com inscrições de mais de 1.800 propostas, envolvendo acima de 5.000 empreendedores, avaliados e assessorados por 611 especialistas-voluntários. Ontem à noite, os semifinalistas de cada região do Brasil apresentaram-se em São Paulo e três receberam destaque.

Confira o que cada um dos três primeiros colocados tem a dizer sobre si mesmos.

 

Sobre a PluriCell Biotechnologies (vencedora) Clique Aqui

 

Mais de 90% das drogas testadas em ensaios clínicos não são aprovados graças a baixa eficiência ou por serem tóxicas. Descobrir novas drogas eficientes e avaliar a segurança das mesmas são pontos essenciais no desenvolvimento de novos fármacos, tarefa que costuma ser terceirizada por empresas farmacêuticas para empresas conhecidas como Contract Research Organization (CRO).

 

Atualmente, os testes pré-clínicos para o desenvolvimento de drogas são baseados em modelos animais que nem sempre representam adequadamente o modelo da doença humana real. A taxa de insucesso na descoberta de novas drogas para humanos é um dos principais problemas enfrentados pela indústria farmacêutica. A maioria dos testes feitos em modelos animais nem sempre são tão elucidativos quanto podem ser em células humanas. A utilização de células humanas in vitro seria uma alternativa, mas apresenta complicações como disponibilidade e variação entre lotes. A nossa empresa já detém a tecnologia para a geração de vários tipos celulares humanos a partir de células-tronco.

 

Tendo isso em vista, nossa empresa se propõe a criar uma nova abordagem para os testes pré-clínicos no desenvolvimento de novos fármacos, oferecendo uma alternativa mais específica que aquelas oferecidas hoje no mercado, permitindo a redução dos custos e tempo ao longo do processo, além de reduzir o uso de animais durante os testes.

 

Este produto será gerado a partir de células-tronco de qualquer pessoa e, por isso, pode gerar qualquer tipo de célula humana, como células do coração, do fígado ou do cérebro. A vantagem disso é que hoje esses mesmos tipos de testes são realizados em células animais, que em muitos casos não imitam as mesmas condições do homem. Além disso, este é um serviço pioneiro no mundo e pode ser personalizado de acordo com as necessidades do cliente.

 

Sobre a RFIdeas Serviços em Tecnologia da Informação (segundo lugar) – Clique Aqui

 

A RFIDEAS é uma empresa startup que desenvolve sistemas de tempo real para rastreamento e gestão de ativos de TI, um mercado que vem crescendo a dois dígitos nos últimos anos e que atingirá mais de US$ 1 bilhão até 2017 (Frost & Sullivan). Atualmente nosso principal produto é o ARTIS, Automatic Real Time Information System.
O ARTIS é uma solução de rastreamento e gestão de ativos de TI em tempo real baseada na tecnologia RFID (identificação por rádio-frequência). Esta solução se propõe a resolver o problema que empresas enfrentam no gerenciamento de um grande parque de equipamentos de TI em Datacenters e escritórios. Baseada na tecnologia RFID, a solução automatiza processos e gera ganhos expressivos em eficiência operacional, segurança da informação e governança corporativa.

 

Algumas alavancas de valor do ARTIS são:

 

Rastreamento à distância e em tempo real dos movimentos dos equipamentos por salas e racks;Redução em até 10 vezes do tempo de coleta de inventário;Eliminação de processos manuais de coleta suscetíveis a erros;Otimização dos processos de compra e gestão de estoques;Redução e prevenção contra perdas, furtos e extravios de equipamentos.Atualmente temos o maior business case do país de uma implementação de solução RFID para Datacenter rodando na Alog Datacenters do Brasil. Lá o ARTIS monitora mais de 18 mil equipamentos 24/7 gerando ganhos substanciais em produtividade, a saber: reduziu 80% dos desvios de equipamentos, 98% do tempo para completar o inventário e 100% para atualizar repositório.

 

A Solução ARTIS se diferencia das soluções concorrentes pelo seu grau de maturidade como a única ferramenta totalmente focada em gestão de ativos de TI com tecnologia RFID. A grande especialização da equipe da RFIDEAS nesta área permitiu a estruturação de um produto escalável e replicável para diversas empresas, dos mais variados mercados.

 

Desta forma, a RFIDEAS oferece ao mercado uma solução fim-a-fim que contempla produtos, software, processos e serviços, minimizando os custos com planejamento e desenvolvimento de projetos pontuais, esporádicos e sem reaproveitamento tecnológico. A Solução ARTIS é um produto pronto, formatado e de prateleira, que não possui um concorrente direto expressivo, pois as soluções concorrentes seriam montadas em frameworks padronizados e com a necessidade de exaustivos desenvolvimentos de software até entrarem em produção.

 

O resultado da especialização da RFIDEAS, bem como de sua estratégia de construção de produtos com modelo replicável, tornam a Solução ARTIS muito mais aderente às reais necessidades das empresas em gestão de ativos de TI em suas várias configurações e por este motivo é a principal empresa do Brasil neste mercado atualmente.

 

Sobre a STA (terceiro lugar) – Clique Aqui

 

O processo de produção de carvão vegetal é denominado carbonização. Carbonização é o termo utilizado para a conversão de uma substância orgânica em carbono ou um resíduo contendo carbono através de destilação ou pirólise. A pirólise é uma reação de análise ou decomposição que ocorre pela ação de altas temperaturas. Ocorre uma ruptura da estrutura molecular original de um determinado composto pela ação do calor em um ambiente com pouco ou nenhum oxigênio. O carvão vegetal é um combustível, renovável, que se diferencia da madeira pelo fato de conter uma maior quantidade de energia (carbono) na mesma massa, obtida pela eliminação da água e transformação/eliminação de componentes químicos.

 

Considerando que o carvão vegetal representa em torno de 60% a 70% do custo de produção de ferro-gusa, e que o custo do carvão vegetal é constituído por 80% de matérias- primas e mão de obra, dependendo do processo, é imprescindível que ocorram investimentos em novas tecnologias e métodos no processo de carbonização (MUYLAERT et al., 1999; HOMMA et al., 2006). Por isso, STA desenvolve tecnologias e soluções para o processo de carbonização, que vão desde consultorias (conhecimento), softwares até produtos mecânicos e eletrônicos. Desde a sua fundação, a empresa tem atuado na área e conseguido expressivos resultados em empresas como Aperam, Gerdau, ArcelorMittal, Rima, etc.

 

Os serviços estão divididos em três vertentes:

 

Logística – os processos de transporte de madeira e carvão, controle de entrada de madeira e saída de carvão, monitoramento da produção, carga e descarga dos fornos, transição entre ciclos, etc.;Carbonização – processo de conversão da madeira abrangendo da ignição dos fornos até o término do resfriamento;Periféricos – sendo a extração, separação e aproveitamento dos coprodutos, cogeração de energia elétrica, mecanismos de redução das emissões, etc.;Elaboração da Linha de Base – ACM0021: A STA atua em parceria com a empresa Waycarbon em todo o trâmite referente à elaboração do projeto para registro e verificação dos créditos de carbono. A expertise da empresa está na elaboração das medições para estabelecimento da linha de base e monitoramento dos créditos durante a vigência do projeto;Otimização de processos logísticos: Estudo, modelagem e otimização dos processos logísticos inerentes da cadeia produtiva do carvão vegetal;Projetos: Projetos personalizados de fornos, queimadores, secadores externos, peneiradores, clusters (sequenciamento e acoplamento de fornos) e outros;Monitoramento do processo:

 

Monitoramento contínuo ou intermitente de grandezas como vazão mássica e volumétrica da chaminé e entradas de ar, pressão interna dos fornos, velocidade dos fluxos de ar, composição química dos gases, fração de não condensáveis, temperaturas, condições meteorológicas entre outras de processos ou fases do processo;Caracterização do processo: Pós-processamento e correlação entre dados monitorados pela equipe da STA e pelo próprio cliente com o objetivo de caracterizar ações e cenários do processo;Análises de viabilidade: Análises de viabilidade técnica, econômica e socioambiental de ideias, projetos e potenciais soluções para as unidades de produção ou pontos específicos dentro do processo;O Grupo STA também comercializa produtos para uso contínuo em processos industriais com o objetivo de intervenção ou de estudo dos mesmos, por parte de nossos clientes. Todos os sistemas são personalizados de acordo com a infraestrutura e interesses do cliente.

 

 

Agropecuária é o novo alvo de empresas iniciantes.

Demanda do setor por inovação favorece criação de companhias que apostam em ferramentas de comercialização e soluções ecológicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sérgio Barbosa

 

 

 

São Paulo

 

Os bois do pecuarista Venilton Coelho não aguenta ramo segundo ano de seca consecutiva no sertão da Bahia. Ao entrar o ano de 2013, Coelho contabilizou a perda de 230 cabeças com falta de água e pastagem e um prejuízo de R$ 200 mil. Diante do cenário, o filho do criador, Matheus Ladeia,decidiu contornar a situação com uma saída lucrativa. Graduado em engenharia mecatrônica, Ladeia criou há três meses uma plataforma on-line para o anúncio e a negociação de áreas de pastagem, e já sonha em faturar ao menos R$ 1 milhão no primeiro ano de operação.

 

“A intenção é que as pessoas que têm pasto possam divulgar e as que precisamdesse pasto possam encontrar”, afirma Matheus,que abriu a empresa Pastar para viabilizar o negócio. Segundo o engenheiro, o aluguel de pastagens é comum na Bahia no período da seca, mas é difícil saber quais terras estão disponíveis. “Se nós soubéssemos de uma pastagem a 400 quilômetros de distância, valeria a pena. Poderíamos ter perdido apenas R$ 30 mil.”

 

A iniciativa de Ladeia de criar uma solução tecnológica para clientes do agronegócio não é isolada. O setor tem recebido a atenção de pequenos empreendedores,que estão criando itens que passam por novas ferramentas de comercialização chegam a soluções ecológicas para a produção e as mercadorias.

 

“A tradição no agronegócio e a inovação na agricultura criam um habitat muito favorável para startups e spinoffs [novas empresas geradas a partir de outras já existentes que estão atuando no mercado”, afirma Sergio Barbosa, gerente executivo da EsalqTec , incubadora de empresas tecnológicas voltadas apenas ao setor.

 

Segundo Barbosa, as inovações para o agronegócio têm, em geral, viés de sustentabilidade.“Fazer com que o agronegócio seja competitivo, atenda as demandas do Brasil e do mundo e saiba conviver com o meio ambiente de maneira menos agressiva é o caminho para startups.”

 

Ladeia diz que pretende tornara Pastar uma referência em negociação em regiões com graves problemas climáticos. “Nosso know- how vai ser a transferência de animais em situações extremas”, como a Austrália, que costuma passar longos períodos de estiagem, exemplifica.

 

A plataforma da Pastar entrou em funcionamento no dia 26 e também permite a comercialização on-line de bois. A receita será obtida com a cobrança de 4% por boi vendido ou uma parte do aluguel da pastagem equivalente a 1% do valor de cada animal na terra negociada.

 

A expectativa é que a empresa chegue em dezembro de 2014 com oito mil animais comercializados,entre cinco mil e dez mil animais transacionados para os pastos negociados e faturamento entre R$ 1milhão e R$ 1,5 milhão.O empresário já conseguiu um investidor-anjo que aplicou R$ 100 mil.

 

Fonte: http://www.dci.com.br

 

 

Confira a entrevista de Alzir Mahl sobre o Edital Tecnova da Fapesb

O coordenador de apoio à competitividade empresarial da Fapesb, Alzir Mahl, fala sobre o edital Tecnova em entrevista para a TV Mercado do Cacau. Este edital continua com as atividades do Programa Bahia Inovação de incentivar e apoiar a melhoria da produtividade e competitividade das empresas privadas de micro e pequeno porte baianas através da busca pelo diferencial em produtos, processos e serviços tecnologicamente inovadores e que deve ser permanentemente vislumbrada e objetivo das organizações empresariais.

 

Neste sentido, a Fundação de Amparo à Pesquisa – FAPESB, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação – SECTI, a Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração – SICM em parceria com o Ministério de Ciência e Tecnologia – MCT, por intermédio da Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP, lançam o Edital FAPESB/SECTI – 029/2013, referente ao Programa de Apoio à Pesquisa na Empresa – Bahia Inovação.

 

Clique aqui para assistir a entrevista

Comece pequeno, mas sonhe grande.

O texto abaixo é baseado em um estudo realizado pela Endeavor’ sobre estratégias chave para o sucesso das startups. O estudo é baseado em entrevistas com 55 Empreendedores de Alto Impacto de 11 países.

 

Fonte: Endeavor

 

As startups mais admiradas dos dias de hoje – os Facebooks, Googles e LinkedIns do mundo – são empresas globais que começaram em mercados locais. Mark Zuckerberg começou o Facebook em um nível bastante local, testando o conceito original na Universidade de Harvard. Com o tempo, o Facebook cresceu nacionalmente, e depois globalmente. Hoje, a rede social tem mais de 800 milhões de usuários ativos, dos quais mais de 75% vivem fora dos EUA.

 

Reid Hoffman, fundador e presidente do LinkedIn, falou sobre a importância de “Começar pequeno, mas sonhar grande” no Endeavor Entrepreneur Summit em São Francisco.

 

“É claro que você pode mirar em um alvo maior, porque você pode acabar com algo menor de qualquer forma. E parte da razão de isso ser uma regra no empreendedorismo é porque se você não começar mirando alto, quase nunca vai conseguir chegar lá. Tem que ser assim: ‘Como posso ter um impacto global?’. Eu acho que todas as empresas de alto impacto devem pensar em escala global por natureza hoje em dia, por causa da forma como o ecossistema do mercado funciona.  Aí você pensa ‘OK, como eu posso entrar nesse jogo?’. Um dos maiores desafios é como construir algo muito forte com o foco local e então partir para o jogo global. Por exemplo, nós lançamos o LinkedIn com 13 países na lista, e acho que completamos  todos os países em 4 meses, porque para cada pessoa que reclamava que seu país não estava na lista, nós o adicionávamos.”

 

 

Uma pesquisa da Endeavor mostra que a maioria dos empreendedores de sucesso começou localmente, mas planejou em escala global.

 

Entre os melhores empreendedores entrevistados – aqueles cujas empresas cresceram em média 20% ou mais nos últimos três anos – 74% focaram em ter sucesso localmente no começo, para conseguirem aperfeiçoar os aspectos mais fundamentais dos seus modelos de negócios. Mas aspiravam tornar suas empresas globais e desenharam seus negócios de uma forma que fosse possível expandir globalmente no futuro.

 

Quando a Empreendedora Endeavor colombiana Lilian Simbaqueba fundou a LiSim em 1996, ela sabia que teria de expandir sua empresa além das fronteiras da Colômbia para ter alto impacto.

No começo, a LiSim tinha muitas oportunidades de negócios na Colômbia, então Lilian decidiu focar primeiro em construir um negócio que fosse muito forte no mercado local. Quando a crise financeira atingiu a Colômbia, no entanto, os riscos para o core business da LiSim aumentaram substancialmente. Lilian decidiu que era hora de fazer uma expansão internacional. Um dos clientes da LiSim era um banco no Equador – o que criou um link natural para o novo mercado. Depois do Equador, a expansão geográfica continuou, na maioria dos casos puxada por clientes e contatos que já existiam. A ACCION International levou a LiSim ao Peru e à Bolívia, e o Banco Mundial a levou para o Egito e África do Sul. Por todo o processo de expansão, Lilian teve de fazer pequenos ajustes no modelo de negócios, mas o modelo original do core business que ela aperfeiçoou na Colômbia permaneceu o mesmo. Hoje, a LiSim opera em 20 países.

 

Originalmente publicado no Endeavor Global Entrepreneurship Blog.

 

 

3 fases que sua startup deve superar para chegar ao sucesso

Marcelo Toledo, especialista em empreendedorismo, ensina como ser bem sucedido em novo livro.

 

Priscila Zuini de EXAME.com

 

 

São Paulo – Aprenda, execute, cresça. Este é o trajeto que Marcelo Toledo, especialista em startups, propõe para chegar ao sucesso, em seu novo livro. “Dono – Um Caminho Revolucionário Para o Sucesso da sua Empresa” fala sobre como a abertura de startups deve ser norteada por essas três ações para que os empreendedores consigam de fato fazer o negócio crescer.

 

Toledo foi diretor da Vex, responsável por ampliar o alcance de pontos Wi-Fi no país. Além disso, ajudou a criar cinco startups. Uma delas é a Payleven, da Rocket Internet. Atualmente, ele é CTO da Oi Internet.

 

O livro começa com questões básicas sobre o conceito de startup, na fase chamada Aprender. O autor fala sobre risco, fracasso, boas ideias e questões societárias. Na etapa Executar, é hora de partir para ação.

 

Nesta fase, Toledo expõe sua opinião sobre planos de negócios. Para ele, o documento tem pouca utilidade em startups. “São tantas as dúvidas que o plano de negócios se torna frágil e pouco confiável”, diz. No lugar do plano, aparece o modelo de negócio, ou seja, a forma como a empresa pretende ter receita e crescer. Desenvolvimento de clientes, produto mínimo viável e validação são outros temas abordados neste capítulo.

 

Na fase de crescimento, Toledo fala detalhadamente sobre canais de aquisição e vendas, além de explicar alguns conceitos sobre investimento e venda de startups, como pitch e valuation. “O primeiro passo para se dar bem neste novo mundo é nunca deixar de estudar e se preparar”, conclui.

 

Dono – Um Caminho Revolucionário Para o Sucesso da sua Empresa

 

Um manual detalhado para quem pensa em abrir uma startup, com dicas desde a abertura até a venda do negócio

 

Autor: Marcelo ToledoEditora: Alta Books

 

 

 

Edital TECNOVA foi prorrogado.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia – FAPESB prorrogou para o dia 14/03, o Edital TECNOVA de Seleção de Propostas no Âmbito do Programa de Apoio à Pesquisa na Empresa/Bahia Inovação Modalidade Subvenção Econômica à Inovação, no valor de R$ 13,5 milhões. Os recursos serão usados para financiar o desenvolvimento de produtos, processos e serviços inovadores em empresas.

 

 

Resultado final regional Bahia, Sergipe e Alagoas do Desafio Brasil 2013


 

 

Desafio Brasil na reta final – Bahia, Alagoas e Sergipe já realizaram a Final Regional que aconteceu no Estado da Bahia (BA) sob a coordenação da Unifacs,  foram selecionadas as seguintes empresas:

 

  • Boozina – BA
  • EsmalteriaClub  - BA
  • The Red Fairy – AL
  • Motion Wallet – SE
  • Book Wood – AL
  • LINZ – BA

 

E, após a avaliação dos juízes, a startup vencedora da final regional Bahia/Sergipe/Alagoas  foi:

 

 

 

Estudantes da UNIFACS participam de pesquisa internacional

Até 30 de Novembro alunos da UNIFACS poderão participar do GUESSS – Estudo Mundial sobre Empreendedorismo junto a Estudantes Universitários (Global University Entrepreneurial Spirit Students’ Survey), que é organizado desde 2003 pelo pesquisador suíço Philipp Sieger, em um esforço conjunto que envolve diversas universidades no mundo. A pesquisa busca descrever o espírito, as atividades e as intenções empreendedoras de estudantes universitários em diferentes regiões do mundo.

A participação dos estudantes é relevante por inserir a UNIFACS nesta pesquisa internacional, além de ser uma ótima oportunidade de refletir sobre aspectos importantes do Empreendedorismo. Em 2011, pela primeira vez, a pesquisa vai escutar estudantes brasileiros. Os estudantes que preencherem integralmente concorrem a cinco iPads .

Para acessar o questionário clique aqui.

Incubadora UNIFACS Prédio de Aulas 7 , Anexo B Rua Vieira Lopes, nº. 2 - Rio Vermelho Salvador - Bahia - CEP: 41.940-560.